A Raça

O OEB Moderno é uma recriação do Bulldogge que existiu nos séculos 17 e 18. O projeto foi de responsabilidade de David Leavitt, na década de 70, com apoio da universidade de Ohio. Leavitt se concentrou na criação de uma raça com fenótipo, agilidade e saúde próprias daquele Bulldogge antigo, mas com um temperamento menos agressivo e voltado para a COMPANHIA. O resultado foi um cão livre de muitos males que acometem as raças modernas. Dentre outras características, o OEB respira livremente, é capaz de monta natural e parto normal.

 

O legítimo Olde English Bulldogge vem demonstrando imensa popularidade no mundo todo, principalmente na Europa, onde a cinofilia é bastante tradicional e evoluída.  Há registros genealógicos com mais de uma centena de ascendentes listados.

 

A entidade internacional responsável pelos assentos se chama IOEBA, à qual somos filiados.

https://www.ioeba.net/

Abaixo o padrão oficial da raça:

 

PADRÃO OFICIAL DA RAÇA

Descrição geral: O Olde English Bulldogge típico é um cão leal e corajoso, de porte médio, com cabeça grande e poderosa, corpo sólido e musculatura bem desenvolvida.

Os Olde English Bulldogge são atléticos e fundamentalmente muito saudáveis. Machos respiram livremente e fêmeas criam sozinhas.

O Olde English Bulldogge é livre de qualquer problema respiratório e é capaz de atividades externas sem problemas, exceto se muito calor ou frio extremo.

O temperamento é muito equilibrado e confiável, fazendo deles uma companhia leal, capaz de proteger e integrar a família.

Os Olde English Bulldogges se esforçam para satisfazer seu dono e são muito adestráveis.

A expectativa de vida é de 10 a 14 anos.

 

Cabeça: Grande e alta, moderadamente afundada entre os olhos (Rugas moderadas).

A circunferência da cabeça deve ser igual ou maior que a altura do cão até a cernelha. Uma cabeça estreita ou que seja pequena em relação ao corpo configura falta.

 

Orelhas: Orelhas em rosa e bem implantadas ao lado da cabeça são as preferidas. Orelhas caídas são aceitas se pequenas, não do tipo HOUND. Orelhas pontudas postadas no alto da cabeça são consideradas falta grave.

 

Focinho: Largo, grosso e curto, com rugas moderadas. A mordida é acentuadamente prognata. Caninos inferiores não devem ser aparentes. Fuço comprido (mais de 7,5 cm), mordida em tesoura ou regular são faltas desqualificantes. O fuço não deve ter menos de 3,8 cm. Desvio de mandíbula é uma falta desqualificante.

 

Olhos: Bem separados e de tamanho moderado. Qualquer cor é aceita. No entanto, olhos diferentes como um escuro e o outro azul ou claro, devem ser evitados. Olhos tortos ou esbugalhados são uma falta grave. Falta de pigmentação em volta dos olhos é indesejável.

Olhos estrábicos ou de formato não simétricos são faltas desqualificantes.

 

Nariz: Largo com narinas sem sinal de dificuldades para respirar. O nariz deve ser direcionado para cima entre os olhos. Desde o stop até o final do nariz deve ter pelo menos de 2,5 a 3,8 centímetros. A trufa deve ser de cor sólida. Falha em sua pigmentação configura falta grave. Trufa totalmente despigmentada é uma falta desqualificante.

 

Pescoço: De comprimento moderado, com musculatura bastante desenvolvida e fluente até os ombros. Ele não deve aparentar que termine nos ombros.

 

Peito: As costelas devem ser bem arqueadas e o peito largo e profundo.

A profundidade do peito deve estar pelo menos na altura dos cotovelos. Um peito estreito ou côncavo deve ser considerado uma falta grave.

 

Dorso: Os machos devem ter uma aparência quadrada e balanceada, as fêmeas devem parecer de forma similar com um pouco mais de comprimento de corpo. Dorso curto, com uma leve linha ascendente dos ombros e uma leve descendência até a garupa é preferíveis. Um dorso nivelado é aceito, contanto que a cauda não saia da parte alta das costas.

 

Ombros: Os ombros devem ser inclinados com angulações significantes que permitam boa movimentação. Ombros retos representam falta.

 

Membros: Anteriores devem ser retos e bem separados, não devem ser em arco e nem mesmo virados para dentro. De ossatura forte, com os cotovelos relativamente perto do corpo. Falta de ossatura ou massa é altamente indesejável. Cotovelos soltos ou encolhidos são faltas desqualificantes. Leste/oeste anteriores são faltas graves.

Posteriores devem demonstrar boa angulação do joelho possibilitando boa movimentação. Eles devem ser bem musculosos. Posteriores retos são falta grave. Jarretes de vaca são faltas desqualificantes.

 

Movimentação: Os cães devem ter um trote equilibrado, impulsionado pela parte traseira e proporcionando um bom alcance, permitindo que o cão se movimente com um aspecto poderoso. Os cães devem andar em linha.  Marchar ou andar lateralmente é uma falta grave.

 

Patas: Redondas e compactas, tanto as da frente como as de trás, e as quartelas devem ser fortes. Quartelas fracas ou pés abertos são faltas desqualificantes.

 

Altura: Machos 45,8 a 50,8 cm até a cernelha / Fêmeas 43,2 a 48,2 cm até a cernelha.

Peso: Entre 29.5 e 38.5 Kg para Machos / Entre 22.5 e 31.5 Kg para Fêmeas.

Apesar da altura e peso acima do padrão não serem recomendados, não haverá penalidades se o cão for bem proporcional, correto e equilibrado.

 

Cores: Todas as cores, exceto pelo merle, são aceitas sem qualquer preferência entre elas.  O pelo é curto. Um pelo ondulado ou longo é uma falta desqualificante.

Não devem existir sinais de pelagem longa nas patas ou áreas do pescoço, o que também é uma falta desqualificante.

 

Cauda: Uma cauda curva que naturalmente alcance o jarrete é preferível, caudas curtas e tortas ou amputadas são aceitáveis. A cauda deve ser portada baixa e não sobre a parte traseira do cão.

 

Temperamento: Deve ser disposto e feliz. Uma guarda natural pode ser realizada na residência. Agressão a humanos sem provocação é uma falta desqualificante.

 

Revisado em 4 de Julho de 2006.

Tradução: Miguel Brugnoli

Caráter não oficial.